União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

O PODER DEPURADOR DA DOR NO CORPO, NA PURIFICAÇÃO DO ESPIRITO

Os Espíritos superiores nos ensinam que o nosso períspirito é, além de outras funções, um registrador de reflexos de nossas ações, boas ou más.  Inclusive é por estes registros que ficam gravados ali, que ao nascermos, o novo corpo carnal é influenciado em sua criação, pois o períspirito é o modelo, podendo nascer com problemas, gerando as deficiências que conhecemos em vários seres humanos encarnados. Deus não interfere para nos trazer premiações ou punições, mas a nossa consciência, sim. Ela nos cobra dos erros que contrariaram as leis de Deus, sempre. Porque é na consciência que estão registadas as leis de Deus. Quando o corpo morre o Espírito continua com esse CORPO chamado períspirito, QUE retendo os reflexos de suas ações volta com elas para um novo corpo, influindo positiva ou negativamente na sua formação. Pois na limpeza do espirito e da consciência, O CORPO tem o papel de DEPURADOR. Portanto, tudo o que fazemos fica gravado no nosso períspirito. Assim, Somos os construtores de nossa vida. Kardec concluiu em seus profundos estudos que estamos aqui para reparar o passado, aperfeiçoar o presente que será o nosso futuro, e a consciência é a nossa bússola.    Mentora comenta no livro ”No mundo Maior, de A. Luiz”, sua depuração através da dor na reencarnação.  DIZ A MENTORA... a irmã Cipriana  ao verdugo-obsessor... “— Comentas o mal que te feriu, invocas a Providência com expressões desrespeitosas... Ó meu filho, cala o dom de falar quando não puderes servir ao bem. Vivi igualmente na Terra e não padeci quanto devia, considerado o tesouro da iluminação espiritual que recebi do Céu pela dor. Perdi meus sonhos, meu lar, meu esposo, meus filhos! “O Senhor mos deu, o Senhor mos retomou. Meus dois rapazes foram assassinados numa guerra civil, em nome de princípios legais; minhas duas filhas, seduzidas pelo fascínio do prazer e do ouro, escarneceram de minhas esperanças e permanecem na esfera sombria, emaranhadas em perigosas ilusões. O esposo era o único amigo que me restava; entretanto, quando a lepra acometeu minha carne, abandonou-me também, empolgado por visível horror. Desprezaram-me todas as afeições, fugiram os favores do mundo; contudo, enquanto meus membros se desatavam do corpo que se corrompia, quando me achava relegada ao extremo desamparo dos que me eram caros, robustecia-se dentro em mim o cântico da esperança.  Minh’alma glorificava o Senhor da Vida Triunfante... Concedera-me Ele, um dia, todas as graças da saúde e da mocidade, retomando, em seguida, esses bens, que eu guardava por empréstimo. Privou-me dos entes queridos, desfez-me o equilíbrio orgânico, enviou-me a fome e a dor; no entanto, quando a minha solidão se fez amarga e completa, minha fé elevou-se mais clara e mais viva... . Que necessitava eu, miserável mulher, senão padecer, para santificar a esperança?  que não precisarei ainda, para lograr o acesso às fontes superiores? “   É A DOR-EXPIAÇÃO, que vem de dentro para fora, detendo a alma em aflição, com o objetivo de regenerá-la perante a Justiça Divina. Consequência de ações passada. (purgação). Por Que Sofremos, diz Emmanuel? Ontem - tivemos dificuldades em compor bem o nossa conduta e hoje sofremos as consequências pela lei de causa e efeito. Nós que estamos ainda nesta existência, reencarnados, e que conhecemos os ensinos dos Espíritos, estamos recebendo por misericórdia Divina as informações necessárias à elevação de nossa conduta terrena para que não tenhamos que vir depois a reparar as nossas falhas, através das depurações difíceis da dor.  É caso de dizermos a nós mesmo:  - acorda irmão, enquanto é tempo!