União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

PRÁTICA ESPÍRITA - O QUE O ESPIRITISMO NÃO ADOTA

 

 

O Espiritismo não adota quaisquer práticas de culto exterior. Não possui “corpo sacerdotal”. Não promete curas e/ou benefícios de ordem financeira.

 

As práticas a seguir não possuem fundamentação doutrinária e não encontram respaldo nas obras codificadas por Allan Kardec,

portanto, não são consideradas práticas espíritas:

 

horóscopo

 

yoga

 

cartomancia

 

quiromancia

 

astrologia

 

magia

 

ufologia

 

apometria

 

cristalterapia

 

cromoterapia

 

fitoterapia

 

homeopatia

 

acupuntura

 

massoterapia / reflexologia / shiatsu

 

florais

 

ayurveda (medicina indiana)

 

reiki

 

toque terapêutico

 

terapia regressiva a vidas passadas

 

Certamente os espíritas não são “proibidos” de realizar qualquer uma das atividades citadas acima, mas não devem considerá-las como espíritas, prezando sempre pelo bom-senso em sua prática.

 

Se alguém utiliza alguma dessas práticas no espaço físico de uma casa espírita, é por pura deliberação da direção da casa, que se considera livre para fazer o que quiser, até mesmo dar aulas de arte, culinária, corte e costura, curso de inglês, informática etc; que são atividades úteis, sem dúvida, mas não tem a ver diretamente com o Espiritismo.

 

 O Espiritismo não adota em suas reuniões:

 

pêndulos

 

paramentos (vestes especiais)

 

vinho, cachaça, ou qualquer outra bebida alcoólica

 

incenso, fumo ou quaisquer outras substâncias que produzam fumaça

 

altares

 

imagens

 

andores

 

velas

 

talismãs

 

amuletos

 

pirâmides

 

cristais

 

búzios

 

bola de cristal

 

cantos, hinos, mantras, batuques

 

sacrifícios de animais ou seres humanos

 

“macumba”, “despacho”, “trabalho de amarração”

 

procissões

 

cerimônias matrimoniais

 

cerimônias de batismo

 

exorcismo

 

confissão

 

promessa

 

administração de sacramentos

 

concessões de indulgência (perdão)

 

hinos, mantras ou cantos em línguas mortas ou exóticas

 

rituais, danças, ou quaisquer outras formas de culto exterior

 

cerimônias de cura e “cirurgias espirituais” com objetos cortantes

 

 

 

Compreende-se, portanto, que qualquer culto que contenha tais práticas mencionadas anteriormente,

 

não pode e não deve receber a designação de espírita.

 

Qualquer Centro Espírita que se utilize de tais práticas estará se desviando da sua verdadeira e nobre doutrina.